Kuduro - Embaixada da República de Angola

Ir para o conteúdo

Menu principal

Kuduro

Festival I Love Kuduro reúne velha e nova geração do estilo.


Luanda - O estilo musical angolano Kuduro subiu de tom neste domingo (31 de Março), no último dia da 2ª edição do Festival I Love Kuduro, ao reunir num dos pavilhões da Feira Internacional de Luanda (FIL) os principais “players” deste ritmo.
O espectáculo teve início por volta das 14horas com os apresentadores a darem boas-vindas ao “mar de adeptos” do estilo nascido nos anos de 1990.
O estreante do último dia do festival veio do bairro do Prenda, distrito urbano da Maianga, fazendo-se ao palco acompanhado por uma legião de dançarinos que entoavam o seu nome: “Mero Mestria”. Embora não “arrancando muitos aplausos” das centenas de espectadores, o artista pode pelo menos aquecer a já tarde quente de domingo e testar os equipamentos de som e luz.
Na sequência estiveram “The Groove” (integrando o já conhecido bailarino angolano Fábio Dance). O terceiro ocupou o palco por cerca de sete minutos e conseguiu “arrancar” algum refrão da plateia.
Os kuduristas Nacobeta, Billi B, Maya Zuda, Tchobolly, Novo Estado e Pai Profeta foram encarregados de transportar o público até ao cair da tarde. O relógio marcava 17h45, mas o céu ensolarado de Luanda ainda era visível.
Francis Boy deixou o seu nome cravado neste festival. A par de poucos, conseguiu levar ao rubro os amantes do ritmo e teve apoio permanente da plateia.
Tony Amado, um dos precursores do Kuduro, fez uma retrospectiva das suas músicas.
Do tempo que lhe foi reservado, o músico, um dos mais antigos neste ritmo, conseguiu apresentar parte do seu repertório.
A tarde foi ainda preenchida pela Vaga Banda, Tuga Agressiva, Handeloy, Nirvanas, Dama Eléctrica, JD Rei e Panda, Gata Agressiva e Dada Doi.
A apresentação considerada mais mediática da tarde, na perspectiva dos espectadores, foi a do Puto Prata. Após apresentação, o músico doou os seus calçados e uma pulseira, afirmando que: “A partir de agora, o Puto Prata fica por aqui. Sou o doutorado”.
Sebem fez-se ao palco e cantou, mas uma vez, os temas já conhecidos pelo público.
Embora fãs do cantor manifestarem interesse em ouvir músicas novas do artista, o músico limitou-se a apresentar o seu repertório.
E para fechar a 2ª edição do “Festival I Love Kuduro”, o grupo Lambas foi convidado ao subir ao palco. O relógio marcava 20h40 e o público fiel ainda lá estava intacto, a aguardar por um dos grandes momentos do dia. O grupo, liderado por Nagrelha, fez a sua parte, deixando para o público o dever dos aplausos e para a Da Banda, produtora do evento, a nostalgia do recém terminado festival.
Desde Outubro de 2011, o festival tem juntado e criado intercâmbio entre vários nomes do Kuduro, música electrónica e urban music angolana e internacional. O I Love Kuduro começou a fazer furor com os seus dois eventos com lotação esgotada na Europa: a Kuduro Sessions Paris que recebeu mil e 500 pessoas, segundo a organização, no Showcase Club em Paris (França), no dia 06 de Outubro de 2011 e mais de dois mil e 500 pessoas na Kuduro Sessions Berlin, no Arena Club em Berlim (Alemanha), no dia 3 de Dezembro de 2011.
O I Love Kuduro é um festival internacional que visa promover o Kuduro e a música angolana, com especial atenção a música electrónica angolana. O principal objectivo deste projecto é promover o encontro entre artistas angolanos e o público.







Fonte : ANGOP

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal