Angola

Angola situa-se na parte ocidental da África Austral. O país tem os seguintes dados geográficos:

• Latitude – Norte – 04°22’G / Sul – 18°02′.

• Longitude – Leste – 24°05’E.G / Oeste – 11°41′. 

• Superfície: 1.246.700 quilómetros quadrados. 

• Extensão da Costa Atlântica: 1.650 quilómetros. 

• Fronteiras Terrestres: 4.837 quilómetros. 

• Países limitrofes a Norte: República do Congo e República Democrática do Congo.

• Países limitrofes a Leste: República Democrática do Congo e República da Zâmbia.

• Países limitrofes a Sul: República da Namíbia.

• Oeste: Oceano Atlântico.

Angola tem 18 províncias:

ProvínciaExtensãoCapital
Bengo33.016Caxito
Benguela39.826Benguela
Bié70.314Kuito
Cabinda7.270Cabinda
Kuando-Kubango199.049Menongue
Kwanza-Norte24.110N’dalatando
Kwanza-Sul55.600Sumbe
Cunene87.342Ondjiva
Huambo34.270Huambo
Huíla79.022Lubango
Luanda2.417Luanda
Lunda-Norte103.000Dundo
Lunda-Sul77.367Saurimo
Malanje97.602Malanje
Moxico223.023Luena
Namibe57.091Namibe
Uíge58.698Uíge
Zaire40.130M’Banza Congo

Aproximadamente 65 por cento do território está situado entre 1000 e 1600 metros de altitude.

A moeda oficial é o kwanza. A Língua Oficial é o Português, para além de diversas línguas nacionais, sendo as mais faladas: o Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote e Nganguela.

O Clima

O Clima em Angola tem duas estações: a das chuvas, a mais quente e que ocorre entre os meses de Setembro a Maio, e a do cacimbo ou seca, a menos quente e que vai de Maio a Setembro.

O país possui uma situação geográfica peculiar, por estar na zona inter-tropical e sub-tropical do hemisfério Sul, ser próximo ao mar, e pelas especificidades do seu relevo, divide-se em duas regiões climáticas distintas:

• A Região Litoral – com humidade relativa média anual de 30 por cento e temperatura média superior aos 23°C;

• A Região do Interior, sub-dividida em Zona Norte, com elevadas quedas pluviométricas e temperaturas altas, Zona de Altitude, que abrange as regiões planálticas centrais, com uma estação seca, de temperaturas baixas, e a Zona Sudoeste, semi-árida, em consequência da proximidade do deserto do Namibe, extensão do deserto do Kalahari, sujeita a grandes massas de ar tropical continental.

As temperaturas médias do país são: 27°C máxima e 17°C mínima.

A esta diversidade climática corresponde a um potencial turístico representado por um património natural riquíssimo em flora e fauna diversificadas, possibilitando a prática de todo tipo de actividades de lazer, hobbies e aventuras.

A Flora

Angola apresenta cinco tipos de zonas naturais: a floresta húmida e densa, como a de Maiombe (Cabinda), que contém as mais raríssimas madeiras do mundo; as savanas, normalmente associadas às matas, como é o caso das províncias da Lunda-Norte e Lunda-Sul; as savanas secas, com árvores ou arbustos, em Luanda, baixa de Kassanje, na provincial de Malanje, e também algumas áreas das Lundas.

Existem ainda zonas de estepe ao longo de uma faixa que tem o início a sul do Sumbe, no Kwanza-Sul, e, por fim, a desértica, que ocupa uma estreita faixa costeira no extremo sul do país, onde podemos encontrar, no deserto do Namibe, uma espécie vegetal única e endêmica no mundo que tanto caracteriza este país a “Welwitchia Mirabilis”.

A Fauna

Em Angola, conhecem-se inúmeras espécies espalhadas por várias regiões. Na floresta do Maiombe, em Cabinda, habitam gorilas, chimpanzés e papagaios. Nas zonas naturais mais húmidas do norte, centro e leste, podemos observar o golungo, a palanca negra gigante, uma espécie endêmica no mundo e em vias de extinção, a seixa e os elefantes. Já nas regiões mais secas, aparecem a cabra de leque, o guelengue do deserto ou orix, o gnú, a impala, a chita, o búfalo, e igualmente o elefante, a zebra e a girafa. Animais mais ou menos comuns a todo o território são a hiena, a palanca vermelha, o leão, o leopardo e o hipopótamo.

Na fauna marítima  existem igualmente uma enorme variedade de peixes e de mariscos, que se encontram também nos rios, onde, a par destes, podemos ver também crocodilos ou jacarés.

Os Principais Rios

O principal rio de Angola é o Kwanza, que dá o nome à moeda nacional. Dos seus mil quilómetros de longitude, apenas 240 são navegáveis. Seguem-se o Kubango (975 quilómetros), o Cunene (800) e, por fim, na lista dos quatro principais rios do país, o Zaire (150), sendo este último, todo ele navegável.

Os rios angolanos oferecem oportunidades para a implementação de negócios de interesse turístico ou mistos do tipo comércio-turismo ou ainda a prática do eco-turismo.

Recursos Minerais

Angola é um país potencialmente rico em recursos minerais. Estima-se que o seu sub-solo albergue 35 dos 45 minerais mais importantes do comércio mundial, entre os quais se destacam o petróleo, gás natural, diamantes, fosfatos, substâncias betuminosas, ferro, cobre, magnésio, ouro e rochas ornamentais.

Turismo

Com a aprovação do Plano Director do Turismo de Angola de 2011-2020, a 12 de Outubro de 2011, pela Comissão Permanente do Conselho de Ministros, o Ministério da Hotelaria e Turismo entra num novo ciclo de actuação, centrando-se na implementação de uma estratégia que se pretende sólida, diferenciadora e capaz de afirmar os valores, os activos histórico-culturais e a riqueza natural, que compõem o património turístico de Angola.

Com as acções perspectivadas para o sector, espera-se a criação de um milhão de postos de trabalho directos e indirectos, estima-se uma receita de cerca de quatro biliões de dólares americanos, aumento significativo do peso do sector no Produto Interno Bruto e 4,6 milhões de turistas nacionais e internacionais, indicadores muito importantes para a concretização dos objectivos definidos e resultados esperados.

Religião

Em Angola existem várias religiões organizadas em igrejas ou formas análogas. Dados fiáveis quanto aos números dos fiéis não existem, mas a grande maioria dos angolanos adere a uma religião cristã ou inspirada pelo cristianismo. Cerca da metade da população está ligada à Igreja Católica, outra parte a uma das igrejas protestantes introduzidas durante o período colonial: as baptistas, as metodistas e as congregacionais, além de comunidades mais reduzidas de protestantes reformados e luteranos. A estes há que acrescentar os adventistas, os neo-apostólicos e um grande número de igrejas pentecostais.

 Há, finalmente, duas igrejas do tipo sincrético, os kimbanguistas, com origem na República Democrática do Congo e os tocoistas, que se constituíram em Angola em 1949, ambas com comunidades existentes em todo o país. É significativa, mas não passível de quantificação, a proporção de pessoas sem religião. Os praticantes de religiões tradicionais africanas constituem uma pequena minoria, de carácter residual, mas, entre os cristãos, encontram-se com alguma frequência crenças e costumes herdados daquelas religiões. Há apenas 1 a 2 por cento de  muçulmanos, quase todos imigrados de outros países (sobretudo da África Ocidental).

Cultura

Uma das grandes mais-valias de Angola é sem dúvida a sua cultura em todas as suas manifestações. A música angolana, tanto a tradicional (semba, rebita), como a dita moderna (kizomba, kuduro, zouk) tem sabido trilhar o seu caminho, já com alguma projecção internacional.

Existem alguns instrumentos tradicionais que importa mencionar, que fazem parte da riqueza cultural e tradicional angolana, como o batuque, o kissange e a marimba. Já o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, dizia, num dos seus poemas: “À marimba e ao kissange, ao nosso Carnaval, havemos de voltar”.

As danças tradicionais extremamente ritmadas têm também lugar de destaque, não deixando ninguém indiferente.

O carnaval é sem dúvida uma das expressões culturais a seguir com um conjugar harmonioso de música e dança, como o semba, varina, cabetula, kazucuta e cabecinha.

Em termos de artesanato, Angola tem muito a oferecer.

O artesanato em madeira é talvez o que tem mais expressão (pau-preto, pau cinza, pau rosa, panga-panga), mas existem ainda outros materiais que são explorados com muita mestria, como o barro, a mateba (fibra de palmeira), bronze, marfim e chifre.

População

populacao.jpg

O Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgou no passado dia 23 de Março, os Resultados Definitivos do Recenseamento Geral da População e Habitação (RPGH-2014), realizado entre 16 à 31 de Maio de 2014 em todo território nacional. A população angolana é constituída actualmente por 25 milhões 789 mil e 24 habitantes, dos quais seis milhões 945 mil e 386 vivem na capital do país.

A população de Angola é maioritariamente de origem bantu. Entre estes, destacam-se os ovimbundus, os kimbundus e os bakongos.

Mas existem outros grupos étnicos minoritários como os Koysan (no sudoeste do país).

A língua oficial é o Português e existem cerca de 42 línguas, sendo que o Kimbundu, o Umbundu, o Kicongo, o Tchokwe as mais abrangentes.

Alguns dados de interesse

Orientação do trânsito – direita.

Horário dos bancos – 8h às 15h (existem bancos que funcionam ao sábado)..

Língua oficial – Português.

Moeda nacional – Kwanza.

Electricidade – 220/240V 50Hz.

Time Zone – GMT/UTC +1

Código telefónico – +244

Unidade de medição – métrica

Dados complementares

DADOS ESTATÍSTICOS
Chefe de EstadoPresidente João Manuel Gonçalves Lourenço
CapitalLuanda
Dia Nacional11 de Novembro de 1975
Língua oficialPortuguês
MoedaKwanza (AKz)
Área1.247.000 km²
População20 milhões (estimativa de 2013)
Alfabetização40%
Urbanização26%
Recursos NaturaisDiamante, óleo, peixe, petróleo, animais selvagens, agricultura, mar e recursos marinhos.

Obs.: Todos os dados são do ano 2000 excepto aqueles que estão indicados.

Fonte: Angop

Embaixada da República de Angola na Polónia

Rua Urodzajna 12,
Caixa Postal: 02-954

2023 © Embaixada da República de Angola na Polónia